100 vezes Cláudia, por Olga

21, março, 2014

DSC_0280 (2)p
A mulher arrastada pela Polícia Militar tinha nome – Cláudia Silva Ferreira. Cláudia também tinha família. E sonhos, coragem, dores e medos como qualquer ser humano. As denúncias da barbárie ocorrida são importantes e elas não devem cessar. Mas fugir do sensacionalismo e humanizar esse momento também é. Por isso, o blog ThinkOlga se propôs a retratar Cláudia com mais carinho do que o visto nos últimos dias.

A convite da Olga, alguns artistas gentilmente criaram imagens sensíveis, que se dispõe a resgatar a dignidade roubada por criminosos. Este projeto se chama 100 VEZES CLÁUDIA e é aberto para que qualquer um possa enviar suas homenagens.

O intuito era publicar novas artes até chegar ao número 100, mas o número já ultrapassa essa marca. O Olga também quer imprimir algumas ilustrações e enviar para a família de Cláudia. Essa iniciativa é extremamente positiva, porque além de resgatar o sentimento humano por trás do acontecimento, tenta confortar um pouco a família de Cláudia e deixa outra imagem da mulher brutalmente assassinada.

Veja as ilustrações já publicadas aqui: http://thinkolga.com/. E caso queira participar, escreva para olga@thinkolga.comO endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

O que é o Olga?

O Olga é um blog alimentado pela jornalista Juliana de Faria, e pela publicitária Luíse Bello. Por meio do blog, elas se dedicam a elevar a discussão sobre feminilidade. O blog se propõe a descobrir quem é essa nova mulher, o que ela quer hoje, e criar conexões criativas mais reais e verdadeiras.

Sem categoria

Rico é menos taxado no Brasil do que na maioria do G20

18, março, 2014

Homem rico & pobre homem
Reclamar dos impostos é hábito comum da elite brasileira. Mas uma comparação internacional mostra que a parcela mais abastada da população não paga tantos tributos assim. Estudos indicam que são justamente os mais pobres que mais contribuem para custear os serviços públicos no país.

Levantamento da PricewaterhouseCoopers (PWC) feito com exclusividade para a BBC Brasil revela que o imposto de renda cobrado da classe média alta e dos ricos no Brasil é menor que o praticado na grande maioria dos países do G20 – grupo que reúne as 19 nações de maior economia do mundo mais a União Europeia.

A consultoria comparou três faixas de renda anual e nas três comparações os brasileiros pagam menos imposto de renda do que a maioria dos contribuintes dos 19 países do G20.

Nas duas maiores faixas de renda analisadas, o Brasil é o terceiro país de menor alíquota. O contribuinte brasileiro que ganha mensalmente, por exemplo, cerca de R$ 50 mil fica com 74% desse valor após descontar o imposto. Na média dos 19 países, o que resta após o pagamento do imposto é 67,5%.

As maiores alíquotas são típicas de países europeus, onde há sistemas de bem estar social consolidados, mas estão presentes também em alguns países emergentes.

Na Itália, por exemplo, praticamente metade da renda das pessoas de classe média alta ou ricas vai para os cofres públicos. Na Índia, cerca de 40% ou mais, assim como no Reino Unido e na África do Sul, quando consideradas as duas faixas de renda mais altas em análise.

Leia a matéria na íntegra:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/03/140313_impostos_ricos_ms.shtml

Fonte: BBC

Inesc, orçamento

Inesc participa da 6ª Reunião do Conselho de Transparência e Controle Social do DF

5, fevereiro, 2014

Foto: Inesc participa da 6ª Reunião do Conselho de Transparência e Controle Social do DF 

Cleomar Manhas, assessora política do Inesc e que integra o Conselho de Transparência e Controle Social do DF, participa, durante toda a manhã de hoje, 5/2, da 6ª reunião do grupo. Entre as ações prioritárias do Conselho estão: conhecer e discutir experiências existentes, como auditorias cívicas, por exemplo; criar e implementar estratégias para articular e mobilizar a sociedade civil organizada visando ao aprimoramento do controle social no Distrito Federal; conhecer e discutir os indicadores de transparência existentes; levantar novas estratégias para ampliação da transparência no GDF, dentre outras.
Cleomar Manhas, assessora política do Inesc e que integra o Conselho de Transparência e Controle Social do DF, participa, durante toda a manhã de hoje, 5/2, da 6ª reunião do grupo. Entre as ações prioritárias do Conselho estão: conhecer e discutir experiências existentes, como auditorias cívicas, por exemplo; criar e implementar estratégias para articular e mobilizar a sociedade civil organizada visando ao aprimoramento do controle social no Distrito Federal; conhecer e discutir os indicadores de transparência existentes; levantar novas estratégias para ampliação da transparência no GDF, dentre outras.

orçamento

Inesc atualiza dados de execução do Orçamento Federal de 2013

31, janeiro, 2014

Inesc atualiza dados de execução do Orçamento Federal de 2013
A atualização final do Orçamento Federal de 2013 – aprovado, executado e não executado, já pode ser visualizada no Portal O Orçamento ao Seu Alcance, ferramenta de monitoramento de dados abertos elaborada pelo Inesc em parceria com a Open Knowledge Foundation Brasil. A fonte dos dados é a base do Senado Federal, o Siga Brasil. Em 2013, o Governo Federal executou 86,3% do orçamento autorizado de R$ 1,64 trilhões. No Portal, também é possível realizar consultas da execução por órgão: o Ministério da Saúde, por exemplo, executou 90,2% (90,7 bilhões dos 101 bilhões autorizados). Nessa consulta o visitante poderá visualizar quanto dos valores pagos resultou de compromissos assumidos em anos anteriores com os chamados “restos a pagar”. Acesse aqui

orçamento

Câmara dos deputados lança cartilha de fiscalização financeira e controle do dinheiro público

24, janeiro, 2014


A Câmara lançou recentemente a 4ª edição da cartilha de fiscalização financeira e controle. Ela é um manual de exercício da cidadania, que apresenta de forma didática mecanismos de acompanhamento do uso do dinheiro público e formas de denunciar irregularidades. A intenção é fortalecer a mensagem que a tarefa de fiscalizar os recursos públicos cabe a toda a sociedade e pode ser feito por qualquer cidadão.

Na administração pública, a fiscalização financeira é destinada a órgãos de controle interno dos poderes Legislativo, Judiciário e Executivo, além de outros. Colaborando para o trabalho dessas entidades, o Inesc disponibiliza as ferramentas  Orçamento ao seu Alcance e  SIGA Brasil, na qual o Inesc contribui no banco de informações. Ambas sintetizam informações atualizadas e mensais sobre o desembolso financeiro dos ministérios e demais órgãos federais, e disponibilizam bases de dados sobre planos e orçamentos públicos, por meio de uma única ferramenta de consulta.

Leia a cartilha aqui

Inesc, orçamento