Arquivo

Arquivo de dezembro, 2013

Site “República dos Ruralistas” expõe deputados que retrocedem a legislação ambiental

20, dezembro, 2013


Sistematizar informações sobre financiadores de campanha, patrimônio fundiário e financeiro dos ruralistas são proposituras do portal

Em parceria com o Conselho Indigenista Missionário (CIMI), o Centro de Trabalho Indigenista (CTI) e o Greenpeace, o Instituto Socioambiental (ISA) apresenta dados sobre a atuação parlamentar e o patrimônio fundiário e financeiro no site “República dos Ruralistas”.  As informações são de fontes públicas, como o Tribunal Superior Eleitoral e os sites da ONG Transparência Brasil.

Os dados apontam a ligação desses parlamentares com empresas multinacionais do agronegócio, crimes ambientais e contra populações rurais e pequenos agricultores. Evidenciam também os interesses particulares e corporativos das propostas que defendem. O perfil dos deputados e demais apoiadores dos projetos que apoiam a alteração da demarcação de terras indígenas são outros listados.

Infográficos e mapas interativos dispostos em uma aba destinada a demais análises complementam o panorama do portal. O “República dos Ruralistas” foi desenvolvido utilizando tecnologias livres e é acessível via computadores e dispositivos móveis, como tablets e smartphones. Para conhecer a fundo essas questões e os envolvidos, acesse o site: http://www.republicadosruralistas.com.br/

 

Sem categoria

O motivo (nem) todo mundo conhece! O de cima, sobe. E o de baixo, desce.

16, dezembro, 2013

Você sabia que o número de pessoas necessárias para encher um avião comercial de médio porte tem mais riqueza que as populações da Índia, China EUA e Brasil juntas? E esse é só um dos dados alarmantes apontados pelo vídeo “Global Wealth Inequality – What You Never Knew You Never Knew”. Através de gráficos e dados assustadores baseados em números da ONU, o vídeo faz um apanhado de situações globais onde existe uma concentração extremamente desigual de capital entre ricos e pobres.

A desigualdade social não é mais novidade para ninguém. Mesmo assim, a gravidade é ainda maior do que imaginamos. Se pararmos para pensar que 1% de pessoas detém mais riqueza que todo o resto do planeta, fica claro que há algo muito errado na distribuição de renda no mundo.  Além disso, 80% de pessoas não têm quase nenhuma riqueza, e as 300 pessoas mais ricas da terra têm a mesma riqueza que os três bilhões mais pobres. Não é de cair o queixo?

Quem dita as regras que nós seguimos são os detentores desse capital, afinal eles são donos de veículos de comunicação e grandes corporações financiadoras de políticos e pessoas influentes. São eles quem decidem o que eu e você vamos ler e o que iremos fazer. Eles pautam os jornais e as nossas vidas. Eles são capazes até mesmo de decidir indiretamente os nossos desejos e vontades!

Estar ciente dessa realidade e procurar formas de ajudar na melhor distribuição de dinheiro são essenciais para que os ideais igualitários cresçam e a desigualdade diminua. Esse tipo de ação deve começar conosco!

Assista ao vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=uWSxzjyMNpU#t=14

Sem categoria

Fernanda Lima, racista ou tola?

3, dezembro, 2013

Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea de 2013 aponta que a população negra (pretos e pardos) do Brasil superou em 6,5% a população branca. A pesquisa foi baseada em dados do IBGE, revelando que os negros somam mais de 97 milhões dos brasileiros, ao passo que os brancos somam 91 milhões. Segundo o Instituto, a renda dos negros equivale, em média, a 53% da renda dos brancos, e essa disparidade deve permanecer no cenário nacional pelos próximos 30 anos.

Enquanto isso, na bolha social dos intocáveis, existem aquelas pessoas que, no alto da sua zona de conforto, preferem fazer de conta que racismo é algo distante de suas realidades, além de, muitas vezes, emitirem comentários inoportunos.

Recentemente surgiu uma polêmica sobre a escolha do casal de apresentadores para o sorteio da Copa de 2014. Há rumores de que a FIFA recusou a indicação dos atores globais Camila Pitanga e Lázaro Ramos. A atriz e apresentadora, também global, Fernanda lima, foi então escalada para o evento, e em entrevista, fez a seguinte observação sobre o caso: “Fui convocada e como tal aceitei fazer o trabalho. O que eu tenho a ver com isso? Só porque eu sou branquinha?”

Diante do imbróglio, fica a seguinte pergunta no ar: Pior é abster-se da realidade social do seu país, ou posicionar-se como segregacionista assumido?

Na ausência de uma resposta convincente, fica a dica para que Fernanda Lima utilize melhor a sua imagem pública.

Vale conferir o artigo de José Renato Baptista, antropólogo e professor universitário,veja aqui  http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/12/racismo-o-que-eu-tenho-ver-com-isso-porque-sou-branquinha.html

Legenda: Fernanda Lima, “a branquinha”, entre os ícones do futebol brasileiro, Cafú e Neymar.

(Assessoria de Comunicação do Inesc)

Sem categoria

Fifa: candidata ao troféu da infamidade

3, dezembro, 2013

O Public Eye Awards, conhecido como o prêmio dado às piores corporações do mundo, selecionou a FIFA para a disputa. A indicação foi feita pelos Comitês Populares da Copa e Olimpíadas do Brasil com o intuito de divulgar as consequências negativas da Copa do Mundo no país. Os ganhadores são coroados por voto popular em função de problemas ambientais, sociais e trabalhistas criados por eles. A premiação ocorre durante o Fórum Econômico Mundial, na Suíça.

Se depender do contingente de pessoas que protestou no Brasil durante o mês de junho de 2013, os adversários da FIFA nessa competição podem desistir de colocar as mãos no prêmio. Parte da população brasileira que gritou nas ruas a sua insatisfação apontou a Copa do Mundo como fator de peso para a revolta. Além disso, as promessas de protestos em 2014 não param nas redes sociais.

O orçamento público destinado á construção dos estádios revoltou o povo brasileiro. Constituído majoritariamente pela camada baixa da população, esse capital foi aplicado em elefantes brancos colossais que serão usufruídos apenas por grupos selecionados. Por outro lado, a sociedade acompanha o sucateamento e abandono de seus pilares,como a saúde, educação e transporte.

Sendo a FIFA uma das responsáveis desses acontecimentos, que tal certificar que ela seja reconhecida por isso? Afinal, ela merece.  Vote aqui: http://publiceye.ch/en/case/fifa/.

(Assessoria de Comunicação)

Sem categoria